Otorrino Já

CHEGA de espera! Marque sua consulta de imediato em poucos cliques. Baixe o App e encontre o médico mais perto de você.

Otorrino Já - IOS Otorrino Já - Android
Coorlece - Cooperativa de Otorrinolaringologia do Estado do Ceará

Notícias

Alergias e animais de estimação: como conviver

 Animais de estimação são os queridinhos de muitas famílias. Os pets trazem mais felicidade e agitação aos lares, mas esses não são os únicos fatores ligados aos bichinhos: alergia a cachorros e gatos, por exemplo, são uma preocupação constante. Pelos e outros resíduos provenientes dos animais podem causar sintomas como coceira constante, vermelhidão e lacrimejamento nos olhos, espirros, tosse e até manchas na pele. 

 
Infelizmente, a sugestão mais acionada pelos médicos é a de se livrar do pet, mas não é a única. Se você não quer se separar do seu bichinho, pode ficar tranquilo. É possível tratar e conviver com as alergias, e a Coorlece te conta como. 
 
Entendendo a alergia
Apesar do pensamento tradicional, a alergia não vem diretamente do pelo dos animais. A verdade é que os pets possuem proteínas presentes na urina, caspa, saliva e descascamento da pel, que facilmente são acumuladas no pelo do bicho, são essas substâncias as causadoras da alergia. É por isso que não só cachorros ou gatos mas também aves e outras espécies levam tais sintomas aos donos. 
 
Convivendo com a alergia
Se você tem muita vontade de ter um animalzinho mas tem medo das consequências alérgicas, o ideal pode ser optar por aqueles que costumam quase não impactar a saúde dos humanos, como peixes e tartarugas. No entanto, se você for mais tradicional, ainda é possível escolher espécies de cachorros consideradas pelos médicos menos alérgicas. 
 
Outra boa medida é manter os animais fora da casa, em jardins ou quintais. Isso evita que a pessoa permaneça em contato permanente com os fatores alérgicos no ambiente interno. Caso essa opção não seja possível, manter o pet fora do local onde você dorme já é um bom avanço. Mesmo assim, recomenda-se a troca da roupa de cama rotineiramente. 
 
Higiene
O banho no animal e a escovação dele fora de casa são medidas capazes de diminuir a quantidade de resíduos espalhados pelo ambiente principal. Os lugares preferidos do bichinho são os maiores acumuladores de alérgicos, logo, limpá-los com frequência é fundamental. 
 
Aspiradores de pó podem espalhar ainda mais os resíduos. Por isso, é importante evitar na casa objetos que aglomeram alérgenos. Não sendo possível, o melhor caminho é lavar os tapetes e limpar sofás e derivados a vapor, além de evitar a proximidades desses materiais com o animal. Filtros de ar são grandes aliados.
 
Antialérgicos
Uma possibilidade mais moderna é o uso de loções criadas especialmente para a redução de alérgenos na pele dos animais. Elas são aplicadas uma vez por semana e ainda atuam na hidratação e conservação da epiderme do bichinho. Antes de aplicar, é imprescindível consultar um veterinário.
 
Atualmente existem diversos remédios especializados para tais casos. Os usos mais comuns são de anti-histamínicos e corticoides, sempre junto a orientação de um profissional. 
 
Ficou interessado em saber mais? Entre em contato conosco através do formulário no nosso site ou marque já a sua consulta imediata em poucos cliques. Baixe o aplicativo OtorrinoJÁ e encontre o médico mais perto de você! iOS: https://goo.gl/qqadTy | Android: https://goo.gl/SYoCbw



Inspira! Comunicação e Marketing
Assessoria de imprensa da Coorlece
Jornalistas: Ana Lídia Coutinho (85) 98855.9844 | analidia@agenciainspira.com
Mônika Vieira (85) 98779.2007 | monika@agenciainspira.com

Notícias

Saiba como identificar a Otite média

Comum em crianças, a enfermidade é corriqueira e pode se agravar caso não ocorra o tratamento Não deve ser uma novidade pra você a palavra Otite. É uma enfermidade bem comum e que atinge muitas pessoas, sobretudo as crianças. Todo tipo de inflamação no ouvido se denomina Otite e ela se divide em tr

Obstrução nasal e congestionantes: como evitar esse problema?

Adquiridos sem prescrição médica, o medicamento costuma provocar taquicardias, podendo gerar arritmias e predisposição à desenvolver hipertensão  A congestão nasal é um problema que afeta milhões de pessoas independentemente da região e do clima. O incômodo pode ser tão forte que chega a im

Coorlece alerta sobre os riscos da H1N1

 Doença preocupa a população e provoca mortes no Ceará Médicos da Cooperativa de Otorrinolaringologistas do Estado do Ceará (Coorlece) alertam seus pacientes sobre os riscos do H1N1, vírus que já vitimou milhares de pessoas no Brasil em 2016 e 2009, principalmente. A proliferação se dá pelo cont

Otorrino Já

CHEGA de espera! Marque sua consulta de imediato em poucos cliques. Baixe o App e encontre o médico mais perto de você.

Otorrino Já - IOS Otorrino Já - Android