Otorrino Já

CHEGA de espera! Marque sua consulta de imediato em poucos cliques. Baixe o App e encontre o médico mais perto de você.

Otorrino Já - IOS Otorrino Já - Android
Coorlece - Cooperativa de Otorrinolaringologia do Estado do Ceará

Cirurgias Nasais

Septoplastia por videoendoscopia  x  Septoplastia (qualquer técnica) sem vídeo

Septo Nasal é uma estrutura vertical formada por cartilagem e osso localizada no nariz e que divide esta cavidade em duas outras, narina direita e esquerda.
 
Uma das patologias mais frequentes desta região é uma deformidade que pode ser adquirida ou hereditária, o desvio de septo nasal.
 
A correção desta deformidade é feita através de um procedimento cirúrgico chamado septoplastia. Deve ser operado aquele desvio que causa algum transtorno para a vida do paciente. A principal indicação cirúrgica é a obstrução nasal persistente, que causa um impacto significativo na qualidade de vida do indivíduo. Porém se o paciente não se sente incomodado, não acha que respira mal pelo nariz, não há indicação cirúrgica. Este procedimento pode ser realizado através de duas principais técnicas:
  1. Septoplastia por videoendoscopia
  2. Septoplastia (qualquer técnica) sem vídeo
 
A septoplastia por videoendoscopia, como o próprio nome já diz, é realizada com o uso de equipamentos especiais chamados endoscópios cirúrgicos. Na condução desta cirurgia com este tipo de instrumental consegue-se um elevado nível de segurança, principalmente no que se refere à complicação mais temível desta cirurgia que é o sangramento, e permitindo que o paciente saia da cirurgia sem tampão nasal. Outra vantagem desta técnica em relação à outra sem vídeo é o maior respeito à anatomia, pois se consegue uma melhor visualização das estruturas nasais e próximas a esta o que, na prática, reduz-se o risco de reoperações. A septoplastia por videoendoscopia é cirurgia que vem sendo feita corriqueiramente em grandes centros, inclusive no nosso Estado. A Cirurgia Endoscópica Funcional dos Seios Paranasais (Cirurgia de Sinusite) apresenta as mesmas vantagens quando realizada com a técnica por vídeoendoscopia, o que tornou a técnica sem vídeo obsoleta. 
 

Aparelhagem de Videocirurgia


Esse material que normalmente está inserido dentro do centro cirúrgico requer para seu manuseio um treinamento específico e continuado por parte do cirurgião que o manipula. Desta forma, tem-se solicitado sistematicamente por parte dos otorrinolaringologistas junto aos convênios a técnica que melhor traz benefício para o seu paciente, no caso a cirurgia nasal por videoendoscopia. 
 
Estes procedimentos constam em códigos na tabela CBHPM (Comissão Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos). Entretanto, mais por motivos políticos do que propriamente técnico-científicos, esta técnica não se encontra no ROL de procedimentos obrigatórios da Agencia Nacional de Saúde (ANS), o que faz com que alguns convênios relutem em autorizar a técnica que traz melhores benefícios ao paciente. 
 
Nestes casos os otorrinos do Estado que fazem parte da Cooperativa do Estado do Ceará - COORLECE, como forma de valorizar anos de estudo e empenho técnico-profissional, tem feito de maneira justa a cobrança da diferença do valor dos honorários entre as duas técnicas, a “por videoendoscopia” (que está sendo de fato realizada pelos otorrinos) e a “sem vídeo” (que o convênio autorizou).
 
 

Notícias

Saiba como identificar a Otite média

Comum em crianças, a enfermidade é corriqueira e pode se agravar caso não ocorra o tratamento Não deve ser uma novidade pra você a palavra Otite. É uma enfermidade bem comum e que atinge muitas pessoas, sobretudo as crianças. Todo tipo de inflamação no ouvido se denomina Otite e ela se divide em tr

Obstrução nasal e congestionantes: como evitar esse problema?

Adquiridos sem prescrição médica, o medicamento costuma provocar taquicardias, podendo gerar arritmias e predisposição à desenvolver hipertensão  A congestão nasal é um problema que afeta milhões de pessoas independentemente da região e do clima. O incômodo pode ser tão forte que chega a im

Coorlece alerta sobre os riscos da H1N1

 Doença preocupa a população e provoca mortes no Ceará Médicos da Cooperativa de Otorrinolaringologistas do Estado do Ceará (Coorlece) alertam seus pacientes sobre os riscos do H1N1, vírus que já vitimou milhares de pessoas no Brasil em 2016 e 2009, principalmente. A proliferação se dá pelo cont

Otorrino Já

CHEGA de espera! Marque sua consulta de imediato em poucos cliques. Baixe o App e encontre o médico mais perto de você.

Otorrino Já - IOS Otorrino Já - Android